Depois de um ano isoladas em casa, casal encontra em Bonito MS um destino seguro para viajar durante a pandemia.

18 Mar 2021

Visita a Gruta São Mateus - Bonito MS
Gruta São Mateus - Bonito MS - Foto: Stephani Demczuk e Paula Garde

 

Chegando em Bonito

Depois de um ano isoladas em casa, devido a pandemia, eu e minha esposa resolvemos tirar um final de semana pra relaxar e curtir. Escolhemos Bonito pelo fácil acesso de carro pra nós que moramos em Campo Grande, e, também, por estar sendo considerado um destino seguro nessa pandemia. Nós começamos nossa viagem pra Bonito com um mau tempo na estrada, tempestade, pneu furado e problemas mecânicos. Cheguei preocupada demais com os horários dos passeios, mas a Iza, nossa agente de viagens da H2O, nos tranquilizou fazendo novos agendamentos. Corremos para a oficina, arrumamos o carro e partimos para o primeiro passeio: A Gruta São Mateus. 

Visita a Gruta São Mateus
Gruta São Mateus - Bonito MS - Foto: Stephani Demczuk e Paula Garde

Primeiro Passeio - Gruta São Mateus e Balneário Municipal

Eu tinha muita expectativa nesse passeio, pois tenho grande curiosidade sobre esse tipo de ambiente, sobre as formações geológicas, a fauna... E já comecei me surpreendendo! O receptivo do passeio é lindo. Uma casa rústica de 3 andares, janelonas de madeira, jardim gracioso, que rende ótimas fotos. A casa abriga um pequeno museu de antiguidades e animais taxidermizados. Foi ótima distração enquanto esperávamos o momento da visita à caverna. No comecinho da trilha já fomos surpreendidos por um bando de macacos que veio nos receber. A caminhada até a entrada da caverna é pela mata e leva uns 15 ou 20 min, subida e cheia de degraus. Na entrada da caverna, a gente desce uma pequena escadaria e já chega no primeiro salão. Ao total, são 4 salões. Belíssimos! Muitas estalactites, diversos formatos. É lindo demais! Fomos acompanhadas por um Guia ótimo, chamado Alisson. Ele nos explicou detalhes sobre a geologia da região e aprendemos muito. Todo o tempo estivemos de capacete, luvas (para preservar a caverna do nosso suor e cosméticos), e máscara. Protocolo de segurança contra covid respeitadíssimo. Eu recomendo muito esse passeio pra quem gosta de fazer um turismo de natureza mais contemplativo. 

Passaporte Carimbonito
Passaporte Carimbonito - Foto: Stephani Demczuk e Paula Garde

O preço é excelente, e tem um belo desconto para moradores do MS, pelo projeto “MS + bonito”, exclusivo da agencia H2O. Como os passeios de Bonito não são muito próximos, a Iza montou nossa programação de forma a aproveitar bem a logística do deslocamento. Então, saímos da Gruta São Mateus e fomos curtir o Balneário do Sol, que fica na mesma estrada. O Balneário do Sol é bacana pra quem não é muito bicho do mato e gosta de um esquema mais “clubinho”. Tem bar, mesas, quiosques para churrasco, uma tirolesa bem maneira, ponte pra salto e várias cachoeiras pra contemplar, que ficam do outro lado da margem do rio.

Hotel Bonito Ecotel
Bonito Ecotel - Foto: Stephani Demczuck e Paula Garde 

Conhecendo o Bonito Ecotel

No fim da tarde, voltamos pro hotel, pra curtir uma piscina climatizada maravilhosa que tem por lá. Ficamos hospedadas no Ecotel. Maravilhoso! Passou a ser a minha hospedagem favorita em Bonito. Arquitetura rústica moderninha, decorado com artesanato local (não tem nada mais sustentável que valorizar produção local). Quarto cheiroso, espaçoso, arejado, com piso lindo de cimento queimado. Banheiro ótimo, chuveiro ótimo (coisa rara em bonito, porque geralmente os chuveiros de lá são ruins, por conta da água calcária). Eu achei o máximo que tem um varalzinho pra pendurar os bikinis molhados dentro do box! Café da manhã perfeito, também. Bem clássico de hotel bom. Variedade de frutas, pães, bolos, salgadinhos, ovos mexidos, café, chás e sucos. 

Redário Bonito Ecotel
Redário Bonito Ecotel - Foto: Stephani Demczuck e Paula Garde

Logo que cheguei, reparei que o estacionamento é coberto de placas solares, depois descobri que essas placas geram a energia pra manutenção de toda estrutura e da piscina quentinha. Outra coisa que eu reparei e gostei: separam e incentivam a separação do lixo pelos hóspedes. Também soube que a obra da construção do hotel foi toda sustentável. Dá até um quentinho no coração ficar em uma hospedagem com esses objetivos lindos. A estrutura coletiva do hotel é ótima. Piscina linda com hidromassagem, super chique! Mas eu curti mesmo os redários. Principalmente um que fica mais isoladinho. É a maior paz. Ótimo pra descansar dos passeios, olhar as fotos, ler um livro. Ah, também tem uma quadra de beach tennis. Outra coisa excelente é que o hotel é todo aberto. Para chegar ao quarto você não passa por corredores fechados. O café da manha é servido em uma varanda aberta e arejada. Isso me deu a maior segurança pra sair de casa no meio da pandemia. 

Flutuação Nascente Azul
Flutuação Nascente Azul - Foto: Stephani Demczuck e Paula Garde

Flutuação nas Nascente Azul

O segundo dia de passeio estava tirando meu sono. Era dia de Flutuação e eu tenho bastante medo de água. Nos fomos pra Nascente azul. O lugar é um verdadeiro complexo. Tem uma super estrutura de balneário, com bar, restaurante, prainha, tirolesa, ponte suspensa, piscina de água natural e até tanque pra mergulho de cilindro. Mas nós estávamos realmente focadas na flutuação. O grupo que vai flutuar na nascente se reúne com o guia e vai pra outro receptivo, onde nos é entregue a roupa de Neoprene, colete salva-vidas, o sapatinho e a máscara de mergulho com snorkel. Até a nascente, tem uma pequena trilha plana, e com piso tátil. É completamente acessível para deficientes físicos e visuais. Antes de começar a flutuar, fazemos um pequeno treinamento em um deck no rio. Essa etapa foi essencial pra mim. Nosso guia foi o Maycon Portilho e ele me passou muita confiança pra fazer o percurso. Chegando na nascente foi só alegria! Tem uma corda embaixo da água, e dá pra descer por ela e tirar fotos incríveis. Recomendo alugar uma GoPro na cidade. Depois de curtir e tirar fotos na nascente, a gente faz um percurso de 300 metros flutuando pelo rio. O defeito desse passeio é que ele acaba. Eu poderia ficar flutuando o dia todo ali. Durante todo percurso de trilha, nós usamos mascara no rosto. Só tiramos pra flutuar. As roupas de Neoprene e máscara de mergulho já são entregues pra nós higienizadas. Protocolo de segurança contra covid respeitado, mais uma vez. Depois de relaxar na flutuação, resolvemos passar medo na tirolesa, rsrs. É mais alto do que parece. Fiquei grilada na hora, mas curti demais. É sensacional, tem uma vista linda da mata e das cachoeiras de tufas calcárias. Lá também tem um pêndulo, mas achei radical demais pra mim.

Passeio de Quadriciclo Trilha Boiadeira
Quadriciclo Trilha Boiadeira - Foto: Stephani Demczuck e Paula Garde

Quadriciclo Trilha Boiadeira

O último passeio do dia foi a Trilha Boiadeira de quadriciclo. O receptivo fica a margem da cidade, e a gente sai por uma trilha que pega um trechinho de cidade, depois uma mata subindo um morro. Tem muito cascalho e lama. A trilha é bem acidentada, então a direção fica bem pesada. É pra quem gosta de dirigir e não tem medo de sujeira. Fizemos as 17h, e achei o horário perfeito! Vimos o por do sol, e o trecho de retorno já estava meio escuro, aumentando a adrenalina do passeio. Foi muito legal! O pessoal do passeio tira umas fotos durante o percurso, e envia pra nós por e-mail depois. 

Cachoeiras Boca da Onça - Bodoquena MS
Cacheiras Boca da Onça - Bodoquena MS - Foto: Stephani Demczuck e Paula Garde

Trilha e Cachoeiras Boca da Onça

O terceiro, e último dia de passeio, foi na Boca da Onça. Fiz pela segunda vez e continua sendo o meu favorito. A sede da Fazenda é muito bonita. Arquitetura lindíssima, piscina de águas naturais. Eles servem um café da manhã com produtos produzidos na fazenda. Eu adorei isso, porque é um passeio tão longo e cansativo, que é sempre bom fazer um lanche antes de ir para as cachoeiras.Antes de sair pra trilha, o guia reúne o grupo e passa as instruções. Há duas formas de fazer o mesmo percurso: começando pela escadaria e descendo os 900 degraus, ou ao contrário, subindo essa escadaria no final do percurso. Na primeira vez que eu fui, há 5 anos atrás, eu subi a escada. Dessa vez, descemos, então foi um pouco mais tranquilo. Ao final dessa escada, já chegamos na esperada Cachoeira da Boca da Onça. Um espetáculo! Tão enorme que é difícil enquadrá-la na foto. Ali é possível entrar na água, e eu posso dizer que é um banho revitalizante. Logo, temos outra parada pra banho em uma prainha linda, de onde podemos ver a Boca da Onça no horizonte. Caminhando mais um pouco, chegamos em um quiosque de apoio, onde há banheiros e também uma lanchonete. A trilha segue pra minha cachoeira favorita, o Poço da Lontra. Na sequência passamos por outros pontos não menos incríveis. Alguns são apenas contemplativos devido as formações calcárias muito sensíveis. Vá com a bateria do celular, ou da câmera, bem carregada, porque todos os pontos parecem mágicos e rendem fotos maravilhosas. A trilha dura quase 5 horas e é bem exaustiva. Ao retornar pra sede, tem um ótimo almoço esperando por nós. Com opções veganas e vegetarianas também. A bebida é vendida a parte. Se, depois de todo esse rolê, ainda te sobrar energia, é possível curtir um banho de piscina.

Bio Park - Abrigo de Animais
Bio Park - Abrigo de Animais - Foto: Stephani Demczuck e Paula Garde

Abrigo de animais silvestres - Bio Park

Nós saímos da Boca da Onça e seguimos para o Bio Park, que é um abrigo para animais silvestres vítimas de atropelamento, tráfico, maus tratos, cativeiro irregular. A maior parte dos animais que lá vivem não têm condição de retornar ao habitat natural e dependem dos cuidados dos veterinários e biólogos. Funciona desde 2019 e abriga diversos animais da fauna local. Visitar esse tipo de lugar é uma ótima forma de conhecer um pouco sobre a biodiversidade, e fomentar um projeto tão essencial. A nossa visita foi guiada pelo veterinário Leanes, e ele nos explicou a história de cada animal do abrigo. Nós vimos muitos animais como araras, papagaios, tucanos, antas, catetos, lobos-guarás, macacos, onças. E no fim da visita, nos também pudemos interagir com animais domésticos de uma mini fazendinha. O parque tem ótima estrutura. Os animais parecem muito bem tratados, e o carinho e cuidado dos funcionários fica bem evidente durante a visita. Eu adorei o Bio Park! 

Agência H2O Ecoturismo - Bonito MS - Foto: Stephani Demczuck e Paula Garde

Não sabia que existia e foi uma excelente dica da Iza. Esse foi nosso roteiro de 3 dias, cheio de atividades e muito bem programado pela agência H2O.



Escrito por: Stephani Demczuk e Paula Garde